Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

The Daily Miacis

Matine #13

Já há algum tempo que não fazia um matiné. Tenho andado a atualizar as séries (gente desocupada dá nisto... )e por isso os filmes ficam assim um pouco atrás. No entanto desde o ultimo matiné já tenho alguns filmes para falar, breve resumos.

Testament of Youth (2015)

testament-of-youth-poster

 

Inspirado no livro das memórias da personagem principal do filme, Vera Brittain, Testament of youth retrata a evolução de toda uma geração jovem britânica desde o pré, até ao pós primeira guerra mundial. Vera Brittain, filha numa família com alguma riqueza, rebelde e sonhadora, pretende entrar em Oxford, tendo conseguido convencer o pai e realizado o teste de admissão. Pelo caminho apaixona-se pela personagem do Kit Harrington, algo que ela nunca pensou que fosse acontecer. Mas tudo muda quando a primeira guerra mundial rebenta, e então começa a ver-se toda uma geração inocente, a ir ao encontro da guerra, sem ter bem ideia do que isso significava. Vera, foi a que mais sofreu, vendo todos os que eram amigos dela a morrerem, e ela própria a ir para a linha da frente para conseguir salvar os que mais pudesse e estar perto do irmão. Foi aí que ela também foi enfermeira, tratou dos alemães feridos. Quando se dá a vitória da guerra, vemos Vera a assimilar por tudo que passou, e com dificuldade a reingressar nos estudos,  e os sonhos que tinha de ser escritora já não têm o mesmo significado. O filme acaba com um relato do que aconteceu a Vera após guerra, sendo que ela tornou-se numa grande pacifista. Tirando alguns pormenores, como o filme ser demasiado ídilico, embora eu pense que seja talvez essa a ideia que queira ser passada, acho demasiado para um filme de guerra. Mas é um bom filme que demonstra como uma geração pode ser completamente alterada, ou não...

Terminator Genisys (2015)

Terminator-Genisys-Fan-Art-By-DC-Designs

Bem, eu nem sei como começar a dizer o quão errado Terminator Genisys foi. O desperdício do talento da Emilia Clarke, as piadas rebuscadas, as referências sempre presente dos filmes anteriores, os paradoxos temporais, mas pior de tudo, de tudo foi... quererem humanizar o terminator Schwarzenegger. Basicamente o resumo desta história, é que estamos no dia em que a Skynet é destruída, pela resistência guiada pelo famoso John Connor,  mas para tudo dar correto o pai do Connor tem que ser enviado para o passado para proteger a mãe, Sarah Connor, para daí nascer o John Connor e recomeçar toda a história. Mas é aí que torce o rabo do porco: quando Kyle, o futuro (passado?) pai do John está na máquina acontece um evento que ele ao presenciar, cria uma nova linha temporal em que a Sarah Connor já sabe tudo, e já é protegida pelo terminator desde os 9. Com o desenrolar da acção, o Kyle tem memórias que ele nunca viveu porquê? Por causa da nova linha e assim, deles viajam de novo no tempo para um ano em que Genisys, o protótipo da Skynet, vai ser lançado e que afinal foi tudo criada pelo John Connor (depois saberão porquê...). E basicamente é luta, pew pew pew, e é tudo destruído. E ficam todos felizes, menos quem viu o filme.

The Jane Austen Book Club (2007)

poster_jane

Não me lembro bem já como tinha The Jane Austen Book Club para ver há muito tempo e acabei por vê-lo por acidente a fazer zapping na televisão. E gostei! Eu gosto deste tipo de filmes que não são muito conhecidos, lamechas e que falem de livros. Conhecemos logo no início as personagens que vão fazer parte do clube de livro, que é criado como uma forma de apoiar um dos membros que perdeu um cão, mas que para ela era como um filho. E no fim, o clube acabou por se tornar uma forma de ajuda para todos. Basicamente vemos as personagens a desenvolver-se e a identificar com as personagens dos livros da Jane Austen. Mas é engraçado a forma como debatem os livros, e como conseguem quase tornar as personagens reais. Dá vontade de ler todos os da Jane Austen (já li um, só me falta os restantes). O meu resumo não faz jus ao filme, mas não sei bem o que dizer, porque senão digo demasiado, mas o filme também não é muito complicado. São personagens com problemas reais e a lidarem com eles, sendo que o Clube é uma forma de ajudarem a resolver os problemas.  Aconselho bastante.

Woman In Gold (2015)

woman-in-gold-movie-poster

Woman in Gold, é um filme acerca de um quadro que sempre gostei e não sabia nada acerca dele, e baseado numa história real. A personagem da talentosa Helen Mirren, é uma antiga austríaca judeu, que na segunda guerra mundial conseguiu fugir, com muito custo, da mãos dos Nazis. Mas que pelo caminho deixou toda a fortuna, todas as lembranças e toda a família. Mas quando uma irmã dela morre, ela resolve reclamar o que é seu. Não fazia ela ideia o que isso implicava, e que acabaria por estar dentro de todo um processo onde teria que se depor contra os interesses da propria Austria, que embora proclame devolver os tesouros aos donos antes da guerra, neste caso isso já não se aplicava. Helen lutou, muito à custa da personagem do Ryan Reynolds, e conseguiu o quadro que retrata a sua querida tia. Tenho de admitir que adoro o estilo da Helen neste filme, linda como sempre. E, este filme demonstra, de uma forma diferente, o que foi a segunda guerra mundial. É toda uma perspectiva diferente porque não é extremista como no caso dos filmes que retratam os campos de concentração que é demasiado intenso, este nesse sentido é mais leve, mas não deixa demonstrar como as pessoas foram despojadas, e como para nós seria dificil ter de tomar as opcções que foram necessárias tomar naquele tempo, e a força que foi necessária para começar de novo.

Ufa, já foram alguns filmes, deixo aqui referências dos outros que vi, que embora não faça a descrição não implica que sejam maus, aliás tem muitos bons como John Wick, Kingsman, The Second Best Marigold Hotel, This is Where I leave you, Mad Max: Fury Road, e claro Jurassic World, que foi uma desilusão autêntica!!!!

E vocês, viram alguns dos filmes? Que acharam?

Sinceramente,

Sofia G.


BLOGGER
Sou a Sofia Gonçalves, curiosa sem fim, 28 anos com muitas coisas que quero fazer. Ou estou no ginásio, ou na praia, ou em casa a ler um bom livro, ou a tratar das minhas plantas e animais. O “The Daily Miacis” é um reflexo meu.

thedailymiacis@gmail.com

@thedailymiacis

BLOG ON FACEBOOK

Some blog design Written by Joana

Mensagens

Copyright © The Daily Miacis