Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Daily Miacis

Bitaite da Sexta #21

681c97faa7e6b2f35abe3d6aef3b39c8.jpg

Esta semana passei muito pelo tópico de cobrar visitas entre amigos, e outro tipo de cobranças na amizade. Tem sido uma coisa recorrente que tenho visto amigas minhas a sofrerem disso ou mesmo conhecidos na internet a queixarem-se do mesmo.

 

Eu acho que se é amizade primeiro não temos que cobrar porque se funciona não há que cobrar, porque se é uma amizade e é honesta e fiel e verdadeira, não temos que cobrar. Se por outro lado sentimos que estão em falta connosco e que pensam que não estão em falta, é porque a amizade já não é tão verdadeira quanto isso. Segundo, todos nós temos diferentes tipos de relacionamento, logo o que funciona para mim pode não funcionar para ti, e por isso numa relação de que prole seja, temos que saber adaptarmo-nos ao outro, havendo cedências de ambas as partes.

 

Já sofri muito pela cobrança do "tu nunca sais, tu nunca vens" bla bla bla. Eu não vivo no centro da cidade, demorava 20 minutos de carro a chegar ao sitio e a minha mãe trabalhava não estando sempre disponivel para me levar e buscar. Quem é que estava em falta quando avisavam às 18h30 ou 20h30, que é para jantar e sair? 
Ou então cobrarem porque estou sempre ocupada, e nunca vou? E quando eu precisava, no aniversário, nas alturas que estava em baixo? Quantas vezes criamos projetos e eu toda empolgada, e deixam-me pelo caminho porque era brincadeira ou outra coisa melhor apareceu? Quantas vezes no aniversário não vieram porque não havia dinheiro porque já foram muitos aniversários antes do meu, porque era a entrada do caloiro, porque isto e aquilo? Já passei por uma fase em que eu estando em baixo ajudei quem estava em baixo também, e que tinhamos que juntar porque sim, porque alguém estava em baixo. Mas depois que tudo passou a normal, os outros que estão em baixo, já não conta.

Já cobrei sim algumas coisas mas, acreditem quando eu chego ao ponto de cobrar frente a frente, é porque já levei muita e muita e muita patada. Isso ou então porque não gosto de brinquem comigo. Fazerem de mim parva é o clique para verem o meu lado negro.

 Amizade é uma coisa muito dificil de gerir, ambas as partes tem culpa. Eu sei que a minha culpa é aceitar tudo no inicio, desculpar tudo e ainda calar. Falem, partilhem, hoje saimos por mim, amanha saimos por ti. 

E sejam felizes! 

 

Sinceramente,

20099812_ua1Qu.png

 

 

Quem nos rodeia

aa25a47e5c3d2b2bcb448e9d457b2e30.jpg

Ontem vi isto e fiquei a pensar. 

Não o meu problema é meu, é-me intrinseco. Mas, fiquei a pensar que de facto por vezes nos rodeamos de pessoas que nos "fazem mal" mas, por simpatia (ou interesse?) deixamo-nos. E por outro lado, temos aqueles que nos fazem tão bem mas que por vezes, pela vida de um momento para o outro nos largam e o mal acaba por ser pior.

Vou falar por mim, eu não sou uma pessoa de muitos amigos. Sou simpática, tento sempre agradar toda a gente (talvez muito do meu stress venha daí....), sociável no sentido de que não me ponho de lado, tento falar com as pessoas mas também não sou uma people person, não sou uma pessoa que consegue facilmente começar a falar com as pessoas e ser colega/amiga. Mas quando sou amiga, sou fiel como um cão. E sei que nem todos somos amigos à mesma medida. Mas a verdade é que já tive tantos "amigos" que, sabem aqueles com que nos identificamos tanto, aqueles com que saimos e temos tanto em comum, e outras coisas que nem por isso mas acordamos em discordar, aqueles em fazemos planos para o futuro. E depois de um momento para o outro somos um pedaço na memória deles. 

 

Já me aconteceu isto tantas vezes, ser descartada como se nada fosse que já me questionei: serei eu? Mas se sou eu, não me arrependo por eu acho que sou uma boa amiga e não faço nada de mal. As pessoas mudam e simplesmente descartam o que é mais fácil não sei. Hoje em dia já não tomo nada por certo. Tinha um pai de uma colega que dizia que só no momento em que fechamos os olhos é que vemos quem ao longo da nossa vida foi mesmo nosso amigo. Qaando ele me dizia aquilo eu dizia, que exagero é obvio que eu agora neste momento consigo ver que essa pessoa é minha amiga ou não. Nâo conseguia eu imaginar na roda vida que é a vida, quão fácil ela muda de lado e quão fácil as pessoas são descartáveis.

 

Tenhos amigos/conhecidos que mantenho e falo. E estão no meu coração. E tenho aqueles que já me desiludiram tanto que são uma boa memória que guardo, mas não são mais nada.

 

E agora pergunto-vos: será que estamos numa sociedade tão "fast food" que até as amizades são descartáveis? Aviso que eu aqui considero que o dia a dia vai passando, a vida muda. Mas o esforço será o mesmo?

 

Sinceramente,

Assinatura.png

 


BLOGGER
Sou a Sofia Gonçalves, curiosa sem fim, 28 anos com muitas coisas que quero fazer. Ou estou no ginásio, ou na praia, ou em casa a ler um bom livro, ou a tratar das minhas plantas e animais. O “The Daily Miacis” é um reflexo meu.

thedailymiacis@gmail.com

@thedailymiacis

BLOG ON FACEBOOK

CLUBE LEITURA COMPANHIA DA TINTA

Parceria


Some blog design Written by Joana

Mensagens

Copyright © The Daily Miacis