Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Daily Miacis

Sintam-se pequenos

"Vocês adultos tinham que se preocupar com isto quando tinham a minha idade?" 
Embora seja um vídeo antigo, não deixa de ser o mais actual possivel.
Aprendam, e esta é mais uma prova que a verdade sai da boca das crianças. E em palavras tão simples mostra o quão futeis, estupidos e ridiculos somos nós humanos. quando a nossa prioridade deixa de ser o mundo em que vivemos, porque nós somos 30 milhões de espécies a partilhar a mesma casa.
[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=XOUzYAKWOWU&w=425&h=350]
Até á próxima!

Valeu a pena? Tudo vale a pena se a alma não é pequena

Ultimo dia, começa mesmo a chover quando estamos a sair de Sagres. Não te preocupes, não chores por nós,  voltaremos :P. E encontramos muitas coisas engraçadas a caminho.
[caption id="" align="aligncenter" width="490"] Estátua em Lagos de D. Infante "Vale a Pena?Tudo vale a pena se a alma não é pequena"[/caption][caption id="" align="aligncenter" width="490"] Cegonha numa antiga chaminé á saída de Lagos[/caption]
Na entrada de Lagos, vimos um senhor que era um amolador, com a sua bicicleta, a sua roupa preta. Pelos vistos era uma profissão muito comum no tempo dos meus avós.
Fomos em direcção a Silves. Nunca tinha ido, e é muito bonito. Interior já de Algarve, com uma influência arábe bastante proeminente. Muito caricata, e onde vi imensas coisas engraçadas: um senhor mendigo que estava a falar uma lingua que não se entendia nada do que dizia, um pato marreco ( mudo ), uma abelhão enorme preto que o meu Pai disse que antigamente era muito comum cá no Norte mas que agora não se ve, e a cereja no topo do bolo: uma borboleta linda que planava e era enorme, eram Monarcas :)
[caption id="" align="aligncenter" width="490"] Pato marreco[/caption]
Entrada de Silves
[caption id="" align="aligncenter" width="490"] Um ninho de cegonhas[/caption][caption id="" align="aligncenter" width="490"] Vista da cidade de Silves[/caption][caption id="" align="aligncenter" width="490"] Mercado em Silves[/caption][caption id="" align="aligncenter" width="490"]Um arco no meio de uma ruela Um arco no meio de uma ruela[/caption][caption id="" align="aligncenter" width="490"] Borboleta que ainda não consegui identificar[/caption][caption id="" align="aligncenter" width="490"] Uma Monarca que o meu pai apanhou[/caption][caption id="" align="aligncenter" width="490"] Uma Monarca pousada numa flor, perto de S. Bartolomeu de Messines[/caption]
E depois deste momento tão lindo para mim, uma apaixonada por borboletas, continuamos caminho para Norte, pelo interior do Alentejo. Passamos por Beja, e fomos parar a Évora, outra cidade que nunca tinha estado. Não vimos muito porque aquilo tinha que ser mais que um dia para ver, mas deu para ir ver a Capela dos Ossos, que foi uma "cena" mesmo macabra. A Bones tinha muito trabalho para lá. É uma Igreja cuja as paredes estão cravadas de caveiras, tibias, radio, cubito, e vertebras. Fantastico mesmo. Mas é pequenissima, e paga-se 2 euros para ver aquilo pequeno. Portanto não compensa ir lá de propósito. Só mesmo quem estiver de passagem :P Mas não deixa de ser lindo. 
[caption id="" align="aligncenter" width="490"] Planicie alentejana[/caption][caption id="" align="aligncenter" width="490"] Beja, vista bem de longe [/caption][caption id="" align="aligncenter" width="490"] Mais planicie alentejana[/caption][caption id="" align="aligncenter" width="490"] Evora foi uma cidade com uma população judaica grande que foi muita morta[/caption][caption id="" align="aligncenter" width="490"] Era uma casa alentejana com certeza....[/caption][caption id="" align="aligncenter" width="490"] Uma igreja que não me lembro qual era o nome[/caption][caption id="" align="aligncenter" width="490"] Um detalhe da parte superior de uma coluna na Capela dos Ossos[/caption][caption id="" align="aligncenter" width="490"] Uma parte da parede na Capela dos Ossos[/caption][caption id="" align="aligncenter" width="490"] "Nós ossos que aqui estamos pelos vossos esperamos"[/caption]
Depois, foi comer a segunda dose de caracóis, que já não estavam tão boas como as da Casa do Zé do Pasto, em Lagos. E foi estrada até chegarmos á sempre bonita Viana :)
Agora estudar, época muito chata :|
Até á próxima!

Cliché de segunda

[caption id="" align="aligncenter" width="490"]</dt></dl>
Panorama (especialmente mal feito) do Farol de Sagres na Ponta do Cabo S.Vicente[/caption]
Segundo dia em Sagres foi um dia bom para o churrasquinho da Sofia, aka, apanhar um escaldão.
Tempo muito enublado, mas ainda assim é Algarve, ou seja mesmo com o céu escurinho está-se bem lá fora, e na água também. Não doi os ossos das pernas quando se entra.
Fomo a duas praias, em 4horas e tal. Ou seja isto é que foi aproveitar, dai também o meu escaldão. Antes de ir á Praia do Telheiro, fomos ver o Farol, só por uma questão de "Oh há tempo tempo que não vou lá". Mas também aquilo agora, se calhar por causa das pessoas suicidas, não se pode andar em lado nenhum. Está tudo fechado, portanto é basicamente ir á parte de fora, e ás tendinhas que têm comprar bugigangas. Quer quiser claro. A paisagem nunca deixa de ser boa. E o cheiro inconfundível do Algarve é sempre bom.
[caption id="" align="aligncenter" width="490"] Satélite todo Zen á saida de Sagres[/caption][caption id="" align="aligncenter" width="490"] A chegada á Praia do Telheiro aka Praia dos Surfistas, dos Nudistas, dos Indecisos e dos Normais[/caption]
Falta me a foto da Praia do Telheiro mas é uma praia como outro, protegida por monte, mas optima para o Body Board principalmente.
Depois desta Praia fomos uma nossa já muito conhecida, a Ingrina. Custa a chegar lá, é um pouco longe e em caminho chamado "caminho de cabra" portanto quem não quer sujar o carro ou puxar um pouco pela suspensão é melhor não ir, mas perdem bastante mais não seja pelo sossego e a praia bonita que é. Tivemos pena de não levar material para mergulhar, mas como tempo andava a ameaçar há algum tempo, não se trouxe, mas fez falta. Apanhamos algumas lapas " a maneira primitiva", e souberam mesmo bem. 
[caption id="" align="aligncenter" width="490"]agua Paisagem Algarvia a caminho da Ingrina[/caption][caption id="" align="aligncenter" width="490"] Praia Ingrina, na Vila do Bispo[/caption]
A seguir a um bom tempo a queimar, foi Hotel e seguir para Lagos. Uma cidade mesmo turistica (como quase todas no Litoral Algarvio), e que é muito simpática, principalmente á noite. È agradavel de se estar, e nesta altura, ainda é toleravél, mas mesmo na época alta não deixa se ser suportável.
[caption id="" align="aligncenter" width="490"] Nau quinhentista na Marina de Lagos[/caption][caption id="" align="aligncenter" width="490"] Meu pai a comer a 1ª dose de Caracóis na "Casa do Zé do Pasto" em Lagos, mesmo perto da praça, com vista para a Marina[/caption][caption id="" align="aligncenter" width="490"] Buurp (esta foto fez-me lembrar o Snail Contest entre o Simba e o Timon no ultimo filme)[/caption][caption id="" align="aligncenter" width="490"] Praça em Lagos com a Estátua de D.Sebastião[/caption][caption id="" align="aligncenter" width="490"] Uma das ruelas de Lagos com porta Bar/Restaurante, porta Loja de Lembranças[/caption][caption id="" align="aligncenter" width="490"] Igreja Santo António[/caption][caption id="" align="aligncenter" width="490"] Mercado de Escravos que existia em Lagos[/caption][caption id="" align="aligncenter" width="490"] O dono deste cavalo parou para tomar uma bebidinha, e o cavalo estava ali como se fosse um cão, e a assustar um miudo com muito medo[/caption]
E, acabou, depois de algumas prendas compradas (nem quero falar nisso uma vez que a mais bonita e mais cara partiu mesmo ao chegar a hora de dar....), fomos de volta para Sagres descansar para o dia seguinte...
E ao chegar vi o nome do restaurante que tinha comido no dia anterior, "Porta de Sagres".
Até à próxima!

Uma pitada de cliché: Dia 1

Decidindo á ultima da hora vir para o Sul, e em três dias, fez com o carro fizesse 597 km em 4h50 minutos. Não andamos a 120 é claro, mas de Lisboa para baixo aquilo a estrada é um deserto que parece que um minuto corresponde há meia hora de caminho. 
Talvez seja da época do ano também, porque a verdade é que nas estações de serviço, os quartos de banho ainda estão limpos, e no caso dos W.C.'s das ladies, ainda há papel higienico e o cheiro é tolerante.
Chegamos a Armaçao de Pera um pouco assutados porque já não encontravamos uma estação de serviço há um tempo, e há mais de um tempo que o carro estava na reserva, e por volta das 16horas paramos na praia. E, citando " Fugimos de Viana, para vento encontrar". Mas ainda assim, a areia tem um toque especial, o ar tem um cheiro diferente e a maneira de se estar é outra. 
[caption id="" align="aligncenter" width="490"] Panorama muito mal feito da Praia de Armação de Pêra[/caption]
E depois de um pouco a esticar as pernas que bem estava a ser preciso, toca a seguir a ponta Atlântica do lado Algarvia,que sempre foi o ponto mais conhecido, querido e que para quem quer estar a vontade, sem stress é mesmo Sagres. E vento por vento, venha ele. Já que a cidade não é muito movimentada, ao menos há movimento de outra forma.
[caption id="" align="aligncenter" width="490"] Ponte na entrada de Portimão[/caption]
Chegado a Sagres foi arranjar alojamento uma vez que não foi nada combinado. E, como se vive só uma vez (e estou a citar outra vez..), ficamos no Hotel Baleeira. Lindo :) e vou por aqui umas fotos mesmo a turista cliché da vista do Hotel. Mais não seja para provar que lá estive :P
[caption id="" align="aligncenter" width="490"] Vista do Mar do Hotel[/caption][caption id="" align="aligncenter" width="490"] Vista do Terraço do Hotel[/caption]
E depois de um banho tomado, comer que a fome já era alguma, e foram as melhores lapas grelhadas que já algumas vez comi. Muito boas. Não me lembro do nome do restaurante, mas é logo na entrada de Sagres, a frente do Intermaché (decorei o sitio). 
De pança cheia, tinha que se desgastar. Deixou-se o carro no Hotel, e foi descer até ao Porto de Mar que é mesmo em baixo do Hotel, e depois ir ao, para sempre, Dromedário, que faço sempre confusão com outro bar famoso daqui que era o Motard que agora passou a ser chamado de Avenida. O Dromedário, originalmente possuido por um Alemão, foi considerado durante anos o melhor bar de todo o Algarve, e é fantástico, um bistro bar, pequeno, com óptimo ambiente, em que as pessoas vão lá para conviver, comunidade no cerne puro. E, outra coisa que acho surpreendente,é como uma vila como Sagres, consegue aguentar tanta variedade de bares e restaurantes diferentes e em Viana vai tudo á falencia. Aqui até um Indiano tem!!! Enquanto que em Viana fechou. E não é porque tem turistas, o movimento que passa por aqui no Verão não é o suficiente para justificar.
E deixo aqui mais algumas fotos. Amanha, será outro dia.
[caption id="" align="aligncenter" width="490"] Porto de Mar[/caption][caption id="" align="aligncenter" width="490"] Umas escadas [/caption][caption id="" align="aligncenter" width="490"] A entrada do Dromedário (foto mesmo á turista xD )[/caption][caption id="" align="aligncenter" width="490"] Uma foto dos caracóis cá de baixo, porque sempre achei esquesito como é que no Norte, menos sol são escuros, e aqui em baixo, mais sol, são brancos xD[/caption]
Descobri que a Tinkerbell existe e que mora cá por terras de Sul. Espero conseguir tirar uma foto amanhã.
Até á próxima!

Pág. 1/2


BLOGGER
Sou a Sofia Gonçalves. 29 anos. Curiosa sem fim, exploradora de livros, advogada de boa comida, gestora de estados ansioliticos, caçadora de sonhos, escriba escrava da palavras da minha cabeça, pajem dos meus animais.

thedailymiacis@gmail.com

Mais sobre mim

foto do autor


Some blog design Written by Joana

Em destaque no SAPO Blogs
pub
Copyright © The Daily Miacis