Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Daily Miacis

O que tenho lido #34

38026240_2288195274542219_780947276297142272_n.jpg

Este fim de semana li "Uma mentira mil vezes repetidas" de Manuel Jorge Marmelo. Foi uma leitura para o Book Bingo Leituras ao Sol 2 e Ler os nossos 3ª edição. Coincidência, participar no Ler os Nossos, com um livro que ganhei na 2 edição deste projeto de leitura.

 

Quando vi a disposição do texto nas páginas pensei que seria um livro com crónicas ou pequenos contos sem ligação. Depois de ler o primeiro e segundo capítulo ainda assim fiquei convencida. No entanto à medida que vamos lendo e avançado mais na história, percebemos que todo este livro, é como dizia Goebbels, uma mentira tanta vezes repetida  que acaba por se tornar verdade.

 

Todo este livro ronda à volta do labuto que o narrador tem para inventar um livro, com um autor inventado, e com personagens inventadas, tudo para parecer intelectual  e ver as reacções das pessoas nos transportes públicos. É uma verdadeira metáfora do ditado "são precisas muitas mentiras para sustentar uma". Mostra o trabalho em que nos dedicamos e nos focamos muitas vezes para manter uma mentira, que tal como uma praga, vai-se alastrando e temos que sustentar todas as bocas que essas mentiras esfomeadas precisam para se nutrir. O narrador, cria o autor e toda a vida do autor, tendo para isso realizado uma pesquisa histórica para os factos  coincidirem, cria personagens secundárias que fazem a ponte para atualidade do autor, e cria todo o mundo do livro que o autor inventado gerou. Assim , não querendo ser escritor e ter o trabalho de gerar um livro, ele criou o naúfrago para preencher a ilha deserta que é a o mundo que criou.

 

Foi um livro que me obriguei a ler. Primeiro para sair fora da minha zona de conforto, segundo para participar no Ler os Nossos porque sabia que não ia ter tempo para ler Os Maias a tempo, e terceiro, porque ao longo do livro, que tem um narrativa com uma velocidade que nem é monótona mas nem é acelarada, continha excertos geniais. Marquei algumas páginas e alguma frases vão para o meu cadernos das frases, que falam acerca do que é ser escritor ou mesmo sobre certas condições humanas. No entanto a velocidade de leitura não é das melhores, estamos constantemente a ver repetições de certas partes da história do qual parte para outra mentira. E não saimos deste enredo, até ao último capítulo que de uma forma abrupta cai na realidade.

 

Foi uma leitura forçada e que nem sempre podemos ter boas surpresas. 

 

Sinceramente,

20099812_ua1Qu.png

 

Os meus livros conforto

Existe a comida conforto, onde vamos buscar memórias de cheiros, sabores, e as nossas pupilas gostativas com o seu deleite, informam o nosso cérebro que está tudo bem. 

 

Mas, para mim, também há livros conforto. São aqueles livros que procuramos quando precisamos de um abraço, quando precisamos de "falar" com pessoas que já não viamos há um tempo, reviver bons momentos, embrenhar-nos nesse mundo e sentirmo-nos em casa. Acho que é a sensação de pertença, que nos dá esse conforto. São aqueles livros, que lemos vezes sem contas, que já sabemos algumas frases decor, as personagens como a palma da mão. Ainda assim, há sempre um momento que nos escapou, sempre uma frase nova que nos surpreende e nos preenche. São aqueles livros que estão na estante e têm um aspeto mais gasto que os outros, as pontas mais dobradas, e as páginas fartas de serem viradas, mas sempre numa posição preveligiada, para ser mais rápido de tirar da estante.

 

São aqueles que nos dão conforto.

 

Tenho poucos mas valem por muito. Foram os meus ombros nas horas tristes, os meus companheiros quando me senti mais sozinha, que me fizeram rir, e que me dão nostalgia.

 

O Senhor dos Anéis

37763142_2279148748780205_8594626238180491264_n.jp 

Não preciso de alongar e dizer que estou a adorar a leitura partilhada que estamos a fazer neste ano, desta trilogia! Decidi que vou instituir, para o meu bem, como leitura obrigatória anual. Não vos consigo explicar, nem em desenho nem em palavras, o conforto, a felicidade, o bem estar que me dá quando leio as aventuras do Frodo, do Gandalf, Aragorn, Pipin e Merry, Faramir, Eowyn... J.R.R. Tolkien consegue criar um escudo à minha volta em que sou só eu e a Terra média. Li este livro, como já disse, a primeira vez numa aposta, ainda na época do liceu, onde apostei que lia mais depressa que outro rapaz que dizia que era dificil de ler. Li rápido, o que fez com que eu não estivesse com muita atenção a certos pormenores, mas adorei todos os capitulos e páginas. Agora, quando releio, descubro sempre algo novo, e lindo.

 

Livros banda desenhada Senhor Patinhas

 

37776230_2279148652113548_2686319533307723776_n.jp

Estes livros são aqueles que me dão uma sensação de nostalgia, das memórias de infância, de momentos quentes e felizes. Sim tenho quase 30 anos, mas ainda vou muitas vezes à minha caixa de plástico  e pego num livro ao acaso (porque mesmo depois das obras não consegui arranjar um sitio decente para eles - não os quero num sitio exposto). Consigo me rir várias vezes com o azar do Donald, e a teimosia do Tio Patinhas. Já sei muitas histórias decor, mas não me importo de reler. Pode ser uma leitura infantil, que é, mas que mal nos faz ler coisas deste género? Nenhum, só nos faz relaxar, e até abstrair a cabeça. Só nos faz lembrar, como as coisas mais simples e inocentes, ainda nos captam o coração. Não consigo evitar de ficar empolgada com o sentido aventureiro do Tio Patinhas e as aventuras todas que acontecem por várias culturas: celta, Maias, Indios, etc.

 

Harry Potter e a pedra filosofal

 

37908876_2279148628780217_9021222855538376704_n.jp

Poderia referir a colecção inteira, mas a verdade, é que o primeiro livro tem aquele impacto em mim, que os outros não têm. Ainda me lembro de estar na livraria com a minha avó um pouco aborrecida, mas que no final ela me deu o livro porque era perto dos meus anos. Penso que naquele meu momento juvenil, foi dos livros que li mais rápido.Harry Potter acompanhou me durante alguns anos de crescimento, como a muitos leitores que seguiram a colecção afincadamente. Para mim, Outono, Outubro, é tempo de ler este livro.

 

Colecção Astérix

 

37897163_2279147405447006_1629796430765883392_n.jp

Estes livros têm muito significado para mim pois já me reconfortaram muitas, muitas noites. Já me ri tanto mas tanto, e ainda assim, muitas das vezes, releio aquela frase e ainda me rio. É um comic que consegue abrangir várias idadas, e as piadas apresentam  várias camadas, e com 8, ou 80 anos conseguem perceber facilmente. Penso que não preciso de falar muito, porque.. é Astérix. 

 

"Eu quero escrever uma história de amor" do Clube das Amigas

 

Eu já nem me lembrava bem do nome deste livro pois infelzimente já não tenho o meu exemplar. Li este livro numa noite, e consegui me identificar tanto, absorvi tanto a história, e tendo em conta que, desde sempre nunca fui muito apaixonada por histórias de romances, este livro conseguiu chamar-me. Talvez seja porque se passa no Natal! Gostei tanto, que li esse livro novamente na noite seguinte, porque gostei tanto da história que queria mais daquilo, queria ler mais.( se alguém tiver esse livro por casa e pesar, eu aceito!)

 

 

Menções Honrosas

 

Estas menções são os livros que, mesmo não tendo lido mais que uma vez, sempre que os vejo tenho boas memórias. São quase todos de fantasia!

Guerra dos Tronos que me lembra sempre uma boa época da faculdade, Inkheart porque é lindo, lindo, lindo, Mundos Paralelos, porque foi talvez quando li um livro com uma personagem feminina tão forte e eu adorei, woman power! O diário da nossa paixão dos poucos livros de romance que li e amei sem sentir me lamechas.

 

Não são grandes clássicos, nem nomes muito sonantes para a maior parte, mas são os meus, que me criam os pequenos traços da Sofia.

 

Quais são os vossos livros conforto?

 

Sinceramente,

20099812_ua1Qu.png

 

O que tenho lido #33

** esta review pode conter alguns spoilers **

37296616_2262804587081288_2283600425854697472_n (1

 Este livro tem uma pequena história. Andava com esta BD à algum tempo debaixo de olho. Mas quando fui a Lisboa, à feira do livro ia focada. Como já comentei bem me valeu o foco que saiu tudo pela culatra, e este livro foi nada mais nada menos que um desses exemplos. 

Graças ao mundo da literatura, A Outra Mafalda e a Olga, entrei na feira convencida que é hoje, é hoje que trago o Descender comigo, não vale a pena olhar para outras B.D's, Sofia hoje só trazes o Descender. Bem, cheguei a uma banca só de B.D. e que sonho, tanta B.D. mas eu, firme, Sofia só Descender. Raios parta que o Harrow County estava perto do Descender, e a coisa ficou dificil. Não só era mais barato como, Mike Mignola, o Mike Mignola diz que é uma óptima história. E quando o Mignola diz que é assim, eu confio. Bem lá ficou mais uma vez o Descender e veio o Harrow County. Só li o primeiro livro, e estou arrependida de não ter trazido dois, porque lê se rápido e queremos saber mais! 

 

É a história de Emmy que vive com o seu pai na quinta. A aldeia é pequena, e calma, mas rodeada de mistério, como os perigos que existem na floresta. No seu 18º aniversário, a população decide que tem de matar Emmy- é que ela nasceu de uma árvore onde há uns anos a mesma população daquela terra matou uma bruxa que salvou muitos doentes mas também pactuava com demónios. 

 

A história tem mais que se conte, e o ambiente escuro, perverso e assustador é qualquer coisa.  O trabalho de aguarela é basante apetitoso e perfeito tendo em conta a atmosfera carregada e escura que era necessário criar. 

Sendo recomendado por Mignola, só podia ter esta índole de mistério sobrenatural, com um tendência perversa. Sangue, sacrificios, mortes, etc. Mas com o tema bruxas, e pacto de demónios dá um certo requinte. Suponho que a continuação da história vai se ser o debate interno de Emmy entre o que é herança e o que é ela. Ao mesmo tempo que tem de lutar contra os preconceitos. Tudo o que gosto: sobrenatural, bruxas, aguarela, debates internos. Tenho que ler mais sobre esta pequena aldeia gótica com bruxas.

 

Sinceramente,

20099812_ua1Qu.png

 

Como e Porquê - Tempo para ler

wedding.png

Este post não traz nada de novo, nem é nenhuma novidade neste mundo da Internet. O que não falta são dissertações acerca de como arranjar tempo para ler. Porque insisto? Por vezes há um pequeno truque que cada um de nós usa e que pode  útil e o que outros precisavam. 

 

Desde pequena que leio. Sempre me foi incutido e eu mantive o gosto em mim, procurando novidades ou alimentando a curiosidade a ler clássicos. Como qualquer leitor, quem nunca entrou pela noite dentro a ler um livro porque não conseguia parar? Ou então não se lembra da última vez que pegou num livro porque a inspiração e o tempo não ajudavam?

 

É tudo muito bonito não é, pelo menos até ao final do liceu, e depois? Chega a universidade para quem segue, e os livros técnicos, as noitadas e os estudos, tiram nos um pouco a paciência, e para quem se esforça a coisa ainda vai por fases: em que se consegue ler muito e outras em que não se lê nada. Lembro me perfeitamente que comprei o primeiro livro da saga Game of Thrones depois de ter saído, e lido, o último do Harry Potter. Esse livro ficou parado na mesa de cabeceira da minha cama quase um ano. Quando me lembrei de pegar nele, não parei mais. E depois levei o ao ao George, cheinho de pó, para ele mo assinar mas isso já é outra história,

 

Agora que já parei o tempo de estudos, que tenho espaço para guardar os livros e um pouquito de dinheiro para comprar o que quero e quando quero, o tempo diminui. A vida é mesmo assim, dá com uma mão e tira com a outra. Mas nós, humanos, como excelente raça que somos só temos que saber é utilizar todas as ferramentas que nos deram, e adaptação foi das melhores que podiamos ter. Saber render o tempo é possível, e quando queremos a coisa funciona. 

 

Rever a nossa rotina -  dizer que não há tempo na nossa rotina para tirar, na maior parte das vezes, é coisa mal calculada. Eu cheguei a repetir isso várias vezes, até que comecei a olhar para o meu dia a dia. A verdade é que se perde uma meia hora em coisas dispensáveis, como ver o feed do facebook milhentas vezes, ou uma novela, etc. Não estou a dizer que se tem de cortar a isso piamente, nem pensar. Mas a verdade é que podemos muito bem dividir um tempo, ver o face enquanto vemos a novela, e depois ler. Ou então somente ler. Eu por exemplo leio nem que seja 10 a 5 minutos na minha hora de almoço quando estou em casa, e depois leio nos dias rentáveis quando chego do trabalho mais uns 10 minutos e depois leio à noite mais meia hora, se ainda estive a atualizar o blog, ou a ver uma série, senão sou capaz de ler bem mais que isso. Se fizerem 10 minutos aqui, e outros ali é possível. É verdade que por vezes existem histórias que requerem mais a nossa atenção e mais tempo seguido, mas aí é mais tentativa erro.

 

Livros com poucas páginas - um erro enorme que eu fazia É que a minha tendência era ler calhamaços principalmente de fantasia e que geralmente pertenciam a séries. Por isso lia poucos livros porque para acabar um livro daqueles demorava algum tempo. Assim desanimamos e nem temos a noção de tarefa concluida. Escolham livros pequenos pelo menos até conseguirem conciliar melhor o tempo.

 

Vários livros - Ler vários livros ao mesmo tempo é um erro. Por acaso agora faço o inverso, eu sempre lia um de cada vez e agora costumo ler dois ou três, geralmente livros de géneros diferentes. Faço isto para trocar um pouco o tipo de escrita e personagens e assim fico mais empolgada e não me farto tão rápido.Mas quando o tempo é reduzido não é aconselhável, pela mesma razão enunciada lá em cima, a sensação de tarefa concluída não é atingida e por isso acabamos por nos fartar um pouco.

 

Género - o género penso que faz toda a diferença. Escolham aquilo que vos satisfaz, seja livros técnicos, romances lamechas, BD, horror, policial, etc. Procurem sempre informação acerca do livro para terem uma ideia antes, e aproveitem  sem vergonha. Leiam aquilo que vos preencha, por mais ridiculo que vos pareça..

 

DIstrações -  No momento que estão a tirar parar ler, retirem todas as distrações da vossa beira. TV, telemóvel, computador, etc. Se é para ler, é para estar concentrado.

 

Um livro sempre com vocês - Se levarem um livro na bolsa, mesmo que não andem de transporte público, como é o meu caso, há sempre um momento em que temos de estar à espera de algo, uma consulta, um lanche, etc. Porque não aproveitam e leêm?

 

Anotem todos os livros que leram - No goodreads, num caderno, num quadro no vosso canto lá em casa, etc. Quando chegarem ao final de uns meses e verem o que leram, animam e pensam, bem eu consigo.

 

Arrisquem - Arrisquem no título que vos chama a atenção, numa capa que vos agrada. Por vezes saiem histórias que nunca pensavamos que seriam assim e agradam nos de todos. Descobrimos um novo autor, uma nova linha de história, e esse empolgamento é meio caminho para querer ler mais. 

 

Espero que vos ajude, a mim estes pequenos truques ajudaram. Isso e o Booktube. Nesta fase que passei que andei em baixo, o booktube foi uma lufada de ar fresco que me empolgou a ler e me ajudou a encontrar aquela parte da Sofia que estava perdida. E para além de nos inspirar, porque são inspiradores os vídeos que os booktubers portugueses fazem, é uma óptima fonte de informação de livros, coisas que nunca na vida sequer davamos atenção, e afinal era algo que até gostariamos.

 

Sinceramente,

20099812_ua1Qu.png

 


BLOGGER
Sou a Sofia Gonçalves. 29 anos. Curiosa sem fim, exploradora de livros, advogada de boa comida, gestora de estados ansioliticos, caçadora de sonhos, escriba escrava da palavras da minha cabeça, pajem dos meus animais.

thedailymiacis@gmail.com

Mais sobre mim

foto do autor


Some blog design Written by Joana

Copyright © The Daily Miacis