Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Daily Miacis

RESUMO AGOSTO

Alfabeto literário (3).png

Foste comprido Agosto, foste recheado.

 

Trouxeste-me alguma ansiedade que eu soube agarra-la pelos cornos, como se diz, e passou tudo bem. Trouxeste-me cansaço, muito mas muito cansaço. Sinto-me como se navegasse numa onda que me leva arrastada enquanto bato de vez em quando os braços. Trouxeste-me alegria, saídas, amigos. Trouxeste-me ideias e vontade de seguir em frente. Trouxeste-me o Yoda, o novo cãopanheiro da casa. 

 

Este Agosto teve um je ne sais quoi  de reset. Mas o que mais quero agora é que chegue Setembro com uma parte das férias.

 

Enchi-me de muitos planos este mês, muitas ideias. Mas agora tenho de aprimorar, tenho de refinar, tenho de escolher e tenho de focar. 

Também trouxe muita desorganização, logo agora que andava no #organizeasuacasa da Claúdia. Mas a lista tem aumentado aos poucos e também tenho riscado. Ainda assim, não tenho correspondido às minhas expectativas.

 

Não sei porquê, agora que penso no mês, vejo que houve alguma maturação pelo meio. Algumas respostas minhas a certas situações, que vi " deve ser isto o que é chegar aos 30". O que é bom, nem tudo é mau em crescer.

 

Das metas:

Participar nos cortejos da Senhora da Agonia (mas isto nem se punha em questão): Claro, desde o inicio até ao fim. Com todos os tropeções possíveis, mas não falhei. Este ano contei com uma bolha e uma insolação. Mas também com muitos churros, risadas, danças e bons momentos.

Fazer tapetes na festa da Senhora da Agonia: fomos! E gostei! Senti o ar do que é viver na Ribeira, e sai com muitas dores nas pernas e nas costas. Toda borrada. Mas bem contente. O tapete da nossa rua era o mais lindo!

Ler para o book bingo leituras ao sol 2 (não posso arrastar muito mais o the reader's of Broken Wheel recommend): ora bem, li mas nem era dos que estavam previstos. Já nem sei em quantas alterações vou.

Nos dias mais calmos caminhar com o Chewie na praia: fui, mas caminhamos mais pela aldeira. Descobrimos um caminho que nem sei como sabiamos da sua existência mas nunca lembramos que tinha luz à noite. Ou seja é bom para ir caminhar no Inverno!

Ajeitar as estantes para colocar os livros da BD da Disney ( faz parte do Organize a sua casa do projeto da Cláudia): não! Só vou este fim de semana buscar os acessórios que faltam. Mas já tenho a parte da estante para onde vão limpa.

Arrumar as ervas para fazer chá no Inverno: começei, mas ainda não acabou!

 

Sinceramente,

20099812_ua1Qu.png

 

RESUMO JULHO

Alfabeto literário (2).png

Julho,

 

Foste bem injusto comigo. Quando mais precisava de sossego, de estar calma, deste me imensas provas que no final só mostrou que todo o meu esforço, ainda assim valeu a pena. Mas podias ter sido mais brando, carambas! Quase todo o mês foi uma prova à minha sanidade entre problemas no trabalho e chegar a casa não ter tempo para mim. Não chegava o tempo e quando parava morria com o cansaço. E porque evitava também me esforçar em demasia, querer mais de mim. Não passei um ano em tratamento para deitar tudo pela água fora. Sim porque finalmente atingi neste mês uma daquelas metas tão repetidas neste último ano: parar com o tratamento.

 

Das poucas metas que tinha, poucas cumpri. Isso já começa a ser uma ladainha, que parece mais desculpa que outra coisa, mas não é. Por muito que quisesse não dava, e nem tinha vontade. Vim muitos dos dias, aliás logo no primeiro fim de semana estive metade dele sentada a olhar para o PC a acabar coisas do job que tinham de ser acabadas mesmo que eu quisesse fechar os olhos. Estou a ver Agosto mal parado nesse sentido, mas pelo menos sei que vou ter algum tempo para mim. E é isso que eu quero. Quero ter tempo para mim, e para descansar. E porque ainda aos poucos estou a recuperar a linha perdida no trabalho. 

 

Infelizmente tive que para o meu projeto 365 dias com Poirot e Marple, mas quero recuperar o tempo perdido este mês e Setembro porque tenho uma semana de férias por lá.

 

Do meu desafio pessoal consegui foco, embora o objetivo cumprido não tenha sido cumprido no seu máximo. Vai passar para este mês também.

 

Ir à feira do livro em Viana - Fui. E foi o horror porque era tão fraca, com tão poucas barracas e poucas livrarias. A única coisa que valeu foi que o meu namorado que me deu o livro do Tom Bombadill.

Tentar fazer duas vezes por semana, de manha, saudação ao sol - Preciso de responder?

Emagrecer um quilo - Sim! Bem tive que admitir que precisava de auxilio profissional e fui à nutricionista, e em 15 dias perdi 2 quilos!

Avançar com um projeto - Fiz a lista, sentei me e pensei. Decidi este fim de semana o que quero fazer da vida. E tenho que aceitar que planos não são coisas que têm de acontecer já, neste momento, ao virar da esquina.

Ler bastante para o projeto Book Bingo Leitras ao Sol 2 - Ah como eu queria ser um exemplo aqui, mas não. Mas ainda assim não estou perdida de todo.

 

Sinceramente,

20099812_ua1Qu.png

 

Acompanhada comigo mesma

 

 

047576525ba1c1a9e5edd192946f6310.jpg

Depois de já quase dois anos a conviver numa batalha com o meu eu interior, cheguei a um nível novo: aquele nível perigoso em que pode tudo chegar ao sol e brilhar, ou então cair num abismo de uma forma súbita. Já acabei o desmame, sábado foi a última toma. Fiz uma mudança progressiva, porque quando comecei o desmame comecei a acunpuntura. E não tarda vou começar a meditação matinal.

 

Agora sou só eu comigo mesma. 

 

Penso que talvez seja a fase mais hipócrita e mais tangível de erros. Enquanto estamos na zona má, em que tudo nos pode acontecer e descambar a qualquer hora, sabemos isso, estamos preparados, "é só mais um". Mas quando chegamos a este nível, a confiança pode estar camuflada por uma arrogância, que não é saudável.  Eu estou preparada, isso está certo. Já não tenho medo de ter uma noite em que olha domir 5 horas em vez das 7, em que hoje cheguei a casa e tinha menos atenção  e estou um pouco mais acelarada. Aceitei que tenho defeitos, como todos, e que não sou a única assim. Aceitei que é normal acontecer coisas más, mesmo quando achamos que não merecemos. E que a vida pode ser madrasta, vezes seguidas. Mas é para isso que cá estamos, para corrigi-la, aceitarmos novos caminhos e desbrava los. Mais não seja torna a vida interessante. 

 

A Sofia que agora tem de conviver com a "Sofia" já não é a mesma. Já aceita bem as coisas, mas também sabe ver com o olho critico. Que ok, agora estamos assim, mas podemos estar assim. Vamos tentar colocar a coisa no sitio; se der, vai ser tão bom, senão der, temos mesmo é que aproveitar o caminho. 


Decidi que também estou farta de olhar para um futuro que nunca na nossa vida vamos ter a certeza como ele vai ser, e prefiro viver o presente. Tem o seu peso, e tem a sua falha, mas as memórias que ficam são maiores e melhores. 

Mas o melhor passo que dei e o que me ajudou mais foi soltar me das amarras dos medos mesquinhos e soltar a voz. Mesmo quando não sai mais que um assobio desafinado, o som que é a Sofia perdura no tempo, e por lá mantem-se. Por isso o meu conselho é que não tenham medo de admitirem-se! Antes de mostrarem quem são aos outros, primeiro mostrem se a vocês mesmo, mesmo os defeitos que vos enervam, aceitem. Só aí é que vão aprender a melhora lo. E não tenham medo de serem quem são. Por muito tempo tive medo de mostrar os meus gostos e de lutar mesmo por eles. E quê, hoje sou adoro e sou obececada por azul, e amanhã por rosa? Ainda bem, assim há gosto para todos e estamos sempre a renovar-nos.

Na sala onde estou a escrever não sou só eu e o portátil, o sofá e o Chewie. É tudo isso mais a Sofia que trago dentro de mim, mais a sombra com o peso de um passado que não nos deixa esquecer o presente, mas também um foco de luz que me faz querer agarrar a vida e continuar.

 

49da9e00af76492eadb80e58eb0eba91.jpg

SInceramente,

20099812_ua1Qu.png

 

 

 

A dieta do Marshmallow #5

a dieta de um marshmallow.png

Esta espécie de confessionário de uma pessoa que sempre teve problemas de peso, acabou de tomar um rumo mais sério. Tive que me vergar, admitir que não estava a fazer a coisa correta porque a verdade é que quanto mais ouvimos e fazemos, há coisas que não podem co -existir certo? Quanto mais simples melhor, e foi isso que me aconteceu. Fui a uma nutricionista. 

 

No meu trabalho comentaram acerca do trabalho dela, o preço é agradável, como também o modo como ela trabalha. Fui ao Gabinete de Nutrição da Hélia Barros, que, por sua vez, no local onde moro é conhecida por trabalhar muito com atletas. Na minha cabeça é bom sinal, porque tem uma formação de medicina desportiva, dá uma visão mais correta do que o nosso corpo precisa. Isso e porque acho que não seria daquelas que me iria retirar muita comida!

 

Fui na sexta passada, e honestamente fui para lá derrotada. Tinha sido uma semana em que a auto estima relativa ao peso não tinha andado bem. A verdade é que achava que a balança já tinha avariado, porque ela não saia daquele peso. Quando cheguei à nutricionista, verifiquei que afinal é mesmo o meu corpo que estancou, gostou daquele número e parou. 

Quando falamos em voz alta e para outra pessoa, é o que por vezes precisamos para nos fazer tomar consciência do assunto em si. E aconteceu me várias vezes na consulta. Como realmente nunca tive tanto peso na minha vida como tenho agora, como embora tenha cuidado nos hidratos, a verdade é que podia fazer uma dieta melhor. 

 

No entanto, sai de lá contente. Não só pelo plano que me deu, que só durará numa primeira fase 15 dias, mas porque os meus índices corporais, não estão mal. Sim tenho excesso de peso isso não há dúdiva, e embora não é tanto relativamente ao limite (afinal existem vantagens em ser alta!), tenho que perder essencialmente gordura na barriga. Mas a massa muscular está no ponto correto e objetivo até é manter mesmo aquele número, a quantidade de água, está também no ponto certo e não tenho que aumentar ao que já bebia (2 L por dia, só tenho é que dividir melhor pelo dia). A minha surpresa foi no meu metabolismo basal. Pensei que com a medicação que tomei, e que ainda estou a tomar uma parte, e com a minha tendência a ter peso, estivesse muito baixo, mas a verdade é que está a mil trezento e qualquer coisa e o valor minimo é mil quatrocentos e qualquer coisa. Para mim foi mesmo uma surpresa porque eu estava a apontar o meu metabolismo basal para os 1000-1100.

 

Surpresa foi também no meu plano alimentar, mas para isso tenho que vos contar a parte inicial da consulta. É que a nutricionista faz nos uma entrevista. Sim, horário e tipo de trabalho, treino e historial de treino, como é o treino, quais os nossos horários de comer e o que comemos, incluindo marcas, pergunta as nossas opcções, o que gostamos o que não gostamos, como cozinhamos, tudo o que possam imaginar nas pequenas coisas do dia ela anota tudo. E no final faz um plano consoante tudo o que foi dito. O meu plano não mudou nas horas, somente no fim de semana porque eu por vezes nem lanchava e tenho que começar a lanchar duas vezes por dia. E as coisas que tenho de restringir são minimas relativamente ao que fazia. Aliás acrescentei algumas que eu tinha cortado. 

 

De manhã nestes 15 dias, o pequeno almoço é 2 barras weetabix sem sabor (mas posso acrescentar um quadrado de chocolate negro!) com 5 c. sp de iogurte grego Milbona magro, 100 gr de fruta e o meu habitual café. A meio da manhã, que eu só comia uma peça de fruta, tenho que comer 100 gr de uma fruta, um skyr to go ou 150 ml de um skyr liquido (já provei o Sky to go de baunilha que nem conhecia e adorei!) e se for dia de treino, neste lanche ainda tenho de comer mais 2 marinheiras. Ao almoço é o meu normal quase, sopa e um prato com carne/peixe, salada e 2 colheres de sopa de arroz/massa ou  2 batatas pequenas ou 80 gr de batatas doces. E depois dois lanches o primeiro é 2 bolachas de arroz com uma c.chá de manteiga de amendoim mais 100 gr de fruta, e o segundo gelatina com queijo quark!!! No jantar é igual ao almoço mas sem os hidratos, e depois a ceia, que  essa vá é que me custa porque é bebida vegetal com uma barra de weetabix. 

 

Estou a comer coisas que tinha cortado desde Janeiro, como Skyr, tinha cortado pela quantidade calórica, estou a comer ao almoço durante a semana arroz ou massa, e as tostas de arroz ja nem me lembro quando foi a última vez que comi! E não me tiraram a manteiga de amendoim nem o meu chocolate preto!

 

No final desta semana vou me pesar a ver se há diferença. E estou a contar com alguma alteração no meu metabolismo no final dos 15 dias. 

 

Wish me luck!

 

Sinceramente,

20099812_ua1Qu.png

 


BLOGGER
Sou a Sofia Gonçalves. 29 anos. Curiosa sem fim, exploradora de livros, advogada de boa comida, gestora de estados ansioliticos, caçadora de sonhos, escriba escrava da palavras da minha cabeça, pajem dos meus animais.

thedailymiacis@gmail.com

@thedailymiacis

Mais sobre mim

foto do autor


BLOG ON FACEBOOK
Clube Companhia da Tinta's currently-reading book montage
Clube Companhia da Tinta 25 members
As várias vidas que vivemos pelos livros que lemos, é o que nos leva a participar neste clube. Ler bem e bem ler. Blog: https://companhiadatinta.blogs.sapo.pt/ Grupo Facebook: https://www.facebook.com/groups/1183466295088711/?source=create_flow

Books we're currently reading

A Senhora da Magia A Senhora da Magia
by Marion Zimmer Bradley
Start date: March 1, 2018

1984 1984
by George Orwell
Start date: March 1, 2018



View this group on Goodreads »

Some blog design Written by Joana

Copyright © The Daily Miacis