Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

The Daily Miacis

"Uma mão cheia de plantas que cuidam" de Fernanda Botelho

37572971_2273025742725839_4013614012892708864_n.jp

Das coisas que me dá mais prazer quando vejo uma feira do livro ou de antiguidades, é procurar nos alfarrabistas ou uma tenda de livros em segunda mão, e investigar livros de medicina tradicional, as chamadas mézinhas. Adoro ler acerca do assunto, até porque eu sou muito a favor da cura pela alimentação. Hoje em dia o conhecimento médico atual com o conhecimento antigo, que tem sido atualizado com investigações, permite nos (ou deveria nos permitir) ter uma saúde óptima.  Para além disso tudo, adoro divagar acerca de quem, nos tempos primórdios, lembrou se de pegar numa planta sabendo que também há plantas que fazem mal, e viu que aquilo acabava por apaziguar uma dor de cabeça, tirava dores de dentes ou fazia bem ao estômago.

 

Para quem adoro infusões e chás, então este tipo de assunto é óptimo!

 

Fernanda Botelho, que eu erradamente andava a divulgar que era bióloga, formou se como educadora no método Montessori, entre outras especializações, que conjuntamente com o gosto por fotografia e a experiência de trabalhar numa ervanária, levou a que quando regrasse a Portugal, mudou os canteiros das escolas de Portugal e deu formação a pais e professores acerca de ervas medicinais e autóctones de Portugal. Algo que por acaso já me tinha passado pela cabeça sabiam? Já tinha tido a ideia, há uns anos de abrir uma espécie de jardim de infância, em que a ideia seria as crianças serem auto didactas em trabalhos manuais, aprenderem a cultivar e identificar espécies autotones, aprenderem como gerir o nosso espaço exterior, como o respeitar e como o proteger. Para mim é uma falha na educação de Portugal, em várias das vertentes, porque para mim os Escuteiros é o cúmulo dessa falha (para mim um escuteiro tem que ser como os Americanos).

 

A minha tia que me conhece como a palma da minha mão, deu me este livro "Uma mão cheia de plantas que curam" e adorei! É um livro de fácil acesso, de leitura rápida, e que aprendemos tanto sobre aquilo que pode estar no nosso canteiro ou fora da porta. Mesmo eu que já li alguns livros sobre o assunto, nunca vi um livro com informação tão completa. Geralmente este tipico livro de aplicações medicianais de plantas, acaba por ter uma ilustração da planta, que é representativo, mas a fotografia dá um apoio visual essencial; e conjuntamente com a ilustração é só um paragrafo com a descrição da planta e outro com a aplicação dela.

 

Mas este livro é bom por várias razões. É um livro onde nos estão descritas 55 plantas, que são nativas de Portugal o que por si na minha opinião é uma mais valia, pois é aquilo que temos à nossa mão, que não é pouco. Depois, Fernanda fala dos seus constituintes bioquimicos, explica a anatomia e distribuição da plantas e as suas aplicações, mas nas várias áreas: medicinal, cosmética ou culinária. Até fala das lendas e mitos, e do passado histórico e cultural da planta.Para mim só tem uma pequena falha mas que não é o intuito deste livro, é mais pela curiosidade, facilmente uma página a resumir isso resolvia o assunto. A autora fala de técnicas como emplastro, ou infusão ou etc. Era interessante saber para cada planta, qual a melhor época para retirar, como secar melhor, ou como fazer o emplastro, etc. Mas já tornaria a obra muito extensa. 

 

Para quem gosta de jardinagem este livro também é interessante porque ela também fala das sinergias, e entropias, que cada planta pode ter no nosso jardim. Para os amantes da fitoremediação como eu, vão gostar, principalmente quando estão a ler acerca de plantas que têm em casa e podem ajudar as vossas culturas.

Todo este conteúdo, é nos debitado de uma forma quase intíma, como se estivessemos no nosso jardim a passear e Fernanda estivesse ao nosso lado a falar e a mostrar nos ao mesmo tempo as plantas.

Querem saber quais as imensas aplicações que a Camomila, que cresce em qualquer beira de terrenos em Portugal? E a beldroega, que é tratada como uma daninha? Têm problemas de estômago ou então de dor nas articulações? Não imaginam quantas plantas facilmente mantidas em casa vos pode ajudar nisso. Até uma receita ou duas de comida tem, e ando para fazer uma, biscoitos shortbread com lavanda. Mas agora de dieta não dá mesmo! São só 15 dias os dias mais restritos portanto passa rápido. 

 

Sinceramente,

20099812_ua1Qu.png

 

 

 

Bitaite da Sexta #45

ceramics.png

Já vos confessei que invejo a vida dos meus animais? Geralmente essa inveja atinge o seu pico máximo em duas situações: em dias de muita chuva, e quando acabam as férias e tenho de voltar ao trabalho. Se está calor vão para o jardim, torram ao sol ( o Chewie na barriga é mais moreno que eu); se está frio vêem para casa, e dormem quentes o tempo que querem. Não era a vida boa? Quando reencarnar, quero ser um Chewie numa casa como a minha. 

 

O livro que ganhou para o clube de leitura Companhia da Tinta foi "À boleia pela galáxia" de Douglas Adams. Quem vai participar na leitura e ver o filme? Para discutirmos juntos depois?

 

Partilharam num grupo de leitura em conjunto este vídeo da escritora V.E. Schwab e é superbo! Mostra com toda a genialidade que não tem que exister preconceitos com leitores de fantasia e entre os próprios leitores desse género. Vejam, vale a pena. O discurso dela é meia hora, a restante meia hora é ela a responder perguntas. Mas o discurso é lindo!

 

Este domingo é o dia da Mãe, não se esqueçam de mimar as vossas mães seja qual for o nível de parentesco.

 

E hoje, como não podia deixa de mencionar é, 4 de Maio, dia internacional de Star Wars! Como fazemos sempre, é dia de ver um filme, e eu vou ler as BD's que tenho cá em casa de Star Wars que ainda não li, como forma de também participar no #maratonaespacial da Melina Souza. Não se esqueçam: may the fourth be with you!

 

ca90afba82f8b8d0255527dd94fb6cc0.jpg

Sinceramente,

20099812_ua1Qu.png

 

 

Clássicos do Halloween

31 de Outubro é uma data misteriosa. Não só o seu nome assim o diz " Dia das Bruxas" como tem várias questões à sua volta. A primeira depreende-se com a celebração actual: como é que nós, povo com descendência céltica, deixamos de dar valor a esta festa que nos dizia tanto e os "americanos" vibram com a festa, com as suas lendas como Salem? É algo que me ultrapassa. Sei que o significado atual já é meramente comercial, mas é algo na história que não consigo compreender. Outro mistério é porque, dos poucos que festejam, há portugueses a gastar rios de dinheiro na decoração do jardim e casa quando pouca gente anda na rua para apreciar como devia ser?  A última questão pertinente é: o que vou fazer nessa noite?

Sim eu gosto de festejar. Não faço nenhuma ceia das colheitas como deveria fazer, mas a minha colheita de receitas e comida para casa costuma ser muito produtiva. Como não sou menina, nem nunca fui, de disco nights e afins, a festa do Halloween é mesmo em casa. Já tenho as minhas abóboras colocadas de lado para o famoso "carving" e já tenho algumas comidas na mente, se bem que como a matilha é menor este ano, a ceia é menor. Mas isso não implica qe não vou encomendar uns doces da Glood.

 

b891c9f471470fbf0e2b706f6e15ed31.jpg

Este ano como guardei bem a decoração minimalista, DIY e "chinoca" do ano passado, e comprei umas coisinhas baratas no Intermaché, já tenho decoração e roupa hei de arranjar alguma coisa com o que tenho por casa. Porque o programa mesmo é: abastecer me de comida e ver filmes pela noite dentro. Como estou de férias e tudo bem mesmo a calhar. Portanto para um clássico de Halloween já tenho 

Comida 

Decoração 

Roupa  (já tenho uns collants com esqueletos, tenho uma saia com toule tenho perucas, alguma coisa estranha hei de criar)

 

Falta a diversão, ou seja, filmes. Como clássicos de filmes para o Halloween, tenho uma pequena lista que neste época do ano não podem faltar, e não, não são de terror. Eu não posso ver muitos filmes de terror: vi o "The Ring" andei semanas a ver debaixo dos meus lençois senão tinha nada, vi o "Saw" andei durante dias a sonhar com porcos, e vi o "The Fourth Kind" andei semanas a dormir mal a pensar que ouvia coisas e que não acordava como adormeci. (este último tem partes para nos deixar mesmo na dúvida se estamos sós neste mundo). É uma lista com filmes do mesmo género dos clássicos que temos de ver no Nata, mas ligados ao Haloween. A minha lista de filmes que gosto de ver são (a negrito são aqueles que não falham):

 

Halloweentown

Hocus Pocus 

Bewitched Série

The nightmare before Christmas

The Addams family

The Haunted Mansion

Ghostbusters ( mas o original não aquela versão manhosa das mulheres que nem revisão correta tinham para dizer mercado é a palavra espanhola para mesa)

 A lenda do cavaleiro sem cabeça (da Disney ou a do Johnny Deep)

Harry Potter

Hotel Transylvania

Van Helsing

Liga dos cavalheiros extraordinários

Shrek

Hellboy

Casper

O feiticeiro de Oz

Godzilla

Inkheart

O aprendiz de feiticeiro

Stardust

Penelope

Os irmãos Grimm

The Golden Compass

Hansel & Gretel

Ever After 

 

 Ok, este último não é bem halloweenesco mas, é só porque é de contos de fadas. Estou indecisa. Hocus Pocus é uma tradição que falhei no ano passado portanto este ano não passa , já vi alguns Harry Potter para o Pottermania. Já não vejo há muito "Bewitched" nem "Addams Family", acho que vai ser este. Ou voltar  a ver a série "Witches of East End" adorava a série, estava tão engraçada e foram acabar no final da segunda season que ficou mesmo com um cliffhanger.

 

Sinceramente,

20099812_ua1Qu.png

 

 


BLOGGER
Sou a Sofia Gonçalves. 29 anos. Curiosa sem fim, exploradora de livros, advogada de boa comida, gestora de estados ansioliticos, caçadora de sonhos, escriba escrava da palavras da minha cabeça, pajem dos meus animais.

thedailymiacis@gmail.com

Mais sobre mim

foto do autor


Some blog design Written by Joana

Copyright © The Daily Miacis